Conheça a nova Zona Portuária do Rio de Janeiro

Bares Tombados Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro
Bares tombados no Rio de Janeiro
19 de junho de 2016
Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro - Modalidades e Locais de Prova
Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro: modalidades e locais de prova
12 de julho de 2016
Mostrar tudo

Conheça a nova Zona Portuária do Rio de Janeiro

Nova Zona Portuária do Rio de Janeiro

A Zona Portuária do Rio de Janeiro passou por grandes mudanças nos últimos tempos. O local, que antes estava completamente abandonado e degradado, hoje se encontra pronto para receber turistas com várias atrações. Conheça a Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Píer Mauá: porta de entrada para a cidade maravilhosa, o Píer Mauá é o local em que ficam ancorados tanto navios de carga quanto cruzeiros que atracam no Rio de Janeiro.

Além de abrigar um posto de informações turísticas, os armazéns do Píer Mauá foram reformados para receber eventos e manter a região sempre movimentada. A Feira de Arte Internacional ArtRio, o Festival do Rio e a Semana de Moda já foram realizados no local.

Nova Zona Portuária do Rio de Janeiro

Fonte: Visit.Rio.

Praça Mauá: após anos de completo abandono, a Praça Mauá passou por uma grande revitalização que a transformou novamente em um cartão postal da cidade maravilhosa.

Importantes construções, como o MAR e o Museu do Amanhã, encontram-se na Praça Mauá. Além disso, a própria praça se tornou uma grande atração, com sua vista para a Baía de Guanabara e também como novo point para food trucks.

Quem quiser também pode conhecer o edifício A Noite, primeiro arranha-céu construído no Rio de Janeiro, em 1930.

Cais do Valongo e da Imperatriz: redescoberto durante as obras de revitalização da Zona Portuária do Rio de Janeiro, era o local onde desembarcavam os navios negreiros.

Construído em 1811, foi remodelado para receber a Imperatriz Tereza Cristina em 1843 e, atualmente, transformou-se em sítio arqueológico, onde foi encontrada uma grande quantidade de amuletos e objetos de cultos religiosos originários de Angola, Moçambique e Congo. A prefeitura do Rio e o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) estão tentando transformar o local em Patrimônio da Humanidade da UNESCO.

Jardim Suspenso do Valongo: projetado pelo paisagista Luis Rey, foi inaugurado em 1906 e integrava o Cais da Imperatriz.

Sua arquitetura original, inspirada nos parques franceses do século 19, foi retomada durante as reformas da Zona Portuária do Rio de Janeiro. Réplicas de estátuas gregas e romanas famosas encontram-se expostas no jardim.

Novidades da Zona Portuária do Rio de Janeiro

Fonte: Prefeitura do Rio de Janeiro.

Igreja de São Francisco da Prainha: considerada uma das mais antigas da cidade e uma das principais obras no estilo barroco jesuítico, a Igreja de São Francisco da Prainha encontra-se aberta para visitação depois de passar anos fechada devido a problemas em sua estrutura.

Construída em 1696, a igreja é tombada pelo IPHAN como monumento artístico.

Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição: erguida desde 1713, a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição oferece uma vista privilegiada da Baía de Guanabara.

Hoje, o local funciona como museu e guarda documentos cartográficos do país. Lá também é possível visitar as masmorras onde os líderes da Inconfidência Mineira ficaram presos e a capela recém-reformada.

Centro Cultural José Bonifácio: o palacete construído em 1876 por Dom Pedro II sediou a primeira escola pública da América Latina.

Com as obras de revitalização da Zona Portuária do Rio de Janeiro, o local tornou-se centro cultural e museu dedicado à preservação da cultura afro-brasileira.

Conheça a Nova Zona Portuária do Rio de Janeiro

Fonte: G1.

Fábrica Bhering: o local que um dia dedicou-se a fabricação de balas e chocolates hoje é destinado a receber artistas nacionais e internacionais e seus diversos trabalhos.

Atualmente, os 20 mil metros quadrados da antiga fábrica são ocupados por cerca de 50 artistas, que dividem com o público sua arte, conhecimento e histórias.

Mosteiro de São Bento: um pouco mais afastado do resto dos outros locais se encontra o Mosteiro de São Bento, fundado em 1590.

Até hoje o local conserva-se como um espaço de silêncio e contemplação, mesmo estando no coração do Centro do Rio.

A visita é restrita a Igreja Nossa Senhora de Monstserrat, com destaque para os altares de jacarandá adornados com ouro e o portão de ferro com detalhes em Art Nouveau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *